sexta-feira, 10 de maio de 2013

1

Chapecoense 40 anos.

Hoje, 10 de maio, é um dia especial para o torcedor da Chapecoense. Neste dia é comemorado o aniversário de número 40 do Verdão do Oeste. Clube de tradição em Santa Catarina e dono de uma torcida apaixonada. 

Veja toda a história deste gigante catarinense, desde sua fundação, em 1973, até hoje.

O surgimento do clube está ligado à paixão dos moradores de Chapecó pelo futebol. As agremiações amadoras da região haviam interrompido suas atividades e os amantes do esporte sentiram falta. Após muitas reuniões sobre o destino da modalidade na cidade, no dia 10 de maio de 1973 reuniram-se dirigentes de dois clubes amadores (Atlético Clube Chapecó e o Independente Futebol Clube). Estes tomaram a decisão de fundir-se e formar apenas uma equipe.

Os idealizadores eram Alvadir Pelisser e Altair Zanella do Independente, e Lorário Immich e Vicente Delai pelo lado do Atlético Chapecó. A fusão agradou a muitos na cidade e logo conseguiram apoio de empresários da região, empolgados com a ideia de um clube que representasse a cidade.

A ajuda veio de todos os cantos. Um empresário cedeu os uniformes, outros doaram materiais, mas o Plíneo de Nês, um influente político e empresário local, depositou apoio incondicional no erguer deste novo clube.

A Associação Chapecoense começou assim, com a força de vontade de apaixonados pelo futebol e com a ajuda da população. Seu primeiro presidente foi Lorário Immich. O time inicial era formado pela população local, inclusive alguns jogadores exerciam profissões paralelas à de jogador. Muitos nem recebiam salários, jogavam apenas por amor à camisa. A arrecadação do clube ainda era pequena.

Em sua primeira partida como profissional, a equipe jogou no campo do Colégio São Francisco e bateu o São José por 1 a 0.

O clube estava começando a engatinhar. Disputando os estaduais e mantendo equilibrada as suas contas. Quando, em 1977, veio a grande surpresa e grande feito da Chapecoense: o título do Campeonato Estadual. A conquista causou grande comoção na cidade, além de permitir que o clube disputasse a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro.

Após este primeiro título, a fama gerou frutos. O então prefeito da cidade decidiu construir um estádio que abrigasse os novos campeões. Em apenas 150 dias, ergueu-se o Índio Condá (nome dado em homenagem a um líder indígena), que abrigaria as novas glórias da equipe. No Campeonato Brasileiro de 1978, ficou na 51º posição, num campeonato que contava com 74 times.

No entanto, depois disso, somente em 1996 o clube ergueria uma nova taça de campeão estadual. Dez anos depois, venceu a Copa Santa Catarina e, em 2007, outro título estadual. Conquistou o tetra em 2011 frente ao Criciúma, mesmo adversário da final deste ano.

Mascote:
Fazendo jus ao nome do estádio do clube, que se chama 'Índio Conda', uma figura indígena foi escolhida para ser o mascote da Chapecoense.
Foto: (http://www.asmilcamisas.com.br/)


Parabéns Associação Chapecoense de Futebol pelos seus gloriosos 40 anos de vida.



Foto 1ª: (http://wwwradiochapeco.com.br


Abraços e até a próxima!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

0

Sir Alex Ferguson, lenda viva do futebol!

Alexander Chapman Ferguson, ou simplesmente, Sir Alex Ferguson, anunciou a aposentadoria na última quarta-feira. A notícia já era esperada por todos, ou pelo menos, por grande parte da impresa e admiradores do futebol.

Ferguson começou a carreira de técnico cedo, aos 32 anos, no pequeno East Stirlingshire, da Escócia em 1974, onde ficou por pouco tempo. No mesmo ano foi convidado a treinar o St. Mirren, onde ficou até 1978. Pelo clube conquistou a segunda divisão nacional em 1977. Ainda em 1978, mudou novamente de ares. Transferiu-se para o Aberdeen, clube com tradição no país, mas que enfrentava um fase difícil. Alcansou um sucesso inesperado: dos quatro títulos do clube no Campeonato Escocês, três foram sob seu comando. Além do nacional, conquistou também a Copa da Escócia (quatro vezes), a Copa da Liga (uma vez), a Recopa Europeia (uma vez) e a Supercopa da Europa (uma vez). Permaneceu no clube por 8 anos, quando foi informado sobre o interesse do gigante Manchester United em seus serviços. Antes disso, comandou a Seleção Escocesa na Copa do Mundo de 1986, após a morte de Jock Stein. No grupo formado por Dinamarca, Alemanha Ocidental e Uruguai, além da Escócia, conseguiu apenas um empate com os sul-americanos, sendo assim, eliminado ainda na fase de grupos.

Após a competição, que acabou sendo conquistada pela Argentina, Ferguson resolveu aceitar a proposta do United. Começava ali, a era Ferguson.

O começo nos Red Devil's não foi nada fácil. Após um período de más atuações e resultados, a impresa inglesa e alguns torcedores pediam a saída do treinador. Tudo começou a mudar a partir da conquista da Copa da Inglaterra de 1989/90. Após a conquista da Premier League da temporada 1992/93, tirando o clube da longa fila de 26 anos sem o principal título do país, Ferguson caiu nos braços da torcida. Daí em diante, foi um festival de títulos.

Sir Alex Ferguson se aposenta oficialmente no próximo dia 19, na útlima rodada do Campeonato Inglês, quando completará 1500 jogos à frente do United, em longos 27 anos.

Nestes 27 anos, o treinador conquistou praticamente tudo com o time, sendo o técnico mais vitorioso da Inglaterra. Foram 13 Campeonatos Inglês, 5 Copas da Inglaterra, 4 Copas da Liga, 7 Supercopas da Inglaterra, 5 Copas da Inglaterra, 1 Supercopa da Europa, 1 Recopa da Europa, 2 Liga dos Campeões e 2 Mudial de Clubes.

 Sir Alex Ferguson, lenda viva do futebol!



Foto: (http://premierleaguebrasil.com.br/)


Abraços e até a próxima!

terça-feira, 7 de maio de 2013

0

Libertadores ou Sul-Americana?

Seu Eugenio Figueredo mal entrou no time e já quer a camisa 10. O atual presidente da Conmebol assumiu a instituição há apenas duas semanas e já planeja fazer alterações na Libertadores. O nobre cidadão quer uma competição com apenas 20 clubes, que viriam após uma "peneira" realizada pelos clubes de seu respectivo país. - Ou seja, ele quer fazer da Libertadores uma Sul-Americana. - No atual formato da competição, são 38 o número de equipes participantes (contando os da pré-Libertadores também).

Outro motivo para a mudança no formato de acordo com o manda-chuva da Conmebol, é a falta de árbitros capacitados. Juntando isso com o grande número de partidas (138 no total), Seu Eugenio crê que exista um mal-rendimento da arbitragem. Fato que realmente é verdade. Agora, apontar o número de jogos como problema já é demais. São 10 países que participam da competição, se nestes 10 países não existe pelo menos 50 quartetos bons, fecha as Confederações nacionais e até a própria Conmebol, tamanha a vergonha.

A ideia de Eugenio é fazer uma Libertadores mais competitiva e que pague mais. Competitiva pode até ser, que pague mais acho difícil. Com uma enorme diminuição no número de partidas, serão menos jogos televisionados, logo, menos grana. Menos jogos, menos torcida, logo, menos grana também.

A verdade é que isso ainda vai dar muito o que falar. 

Quanto a esse Eugenio, tá mais pra Eu, pra gênio ainda falta muito.



Foto: (http://www.lancenet.com.br/)



Abraços e até a próxima!